//

De um ponto de vista médico, a sexualidade é muito importante após os 60 anos, pois auxilia na saúde física e psíquica de homens e mulheres mais velhos.

O sexo após certa idade adquire características próprias e se adapta ao possível dentro da vida do casal. Seria hipocrisia pensar que um casal de 60 anos consegue ter a mesma disposição que um de 20. Nessa fase mais madura é uma relação mais tranquila, na qual carinho e intimidade se misturam com experiência, transbordando num ato único, próprio de cada um, dentro de cada limitação.

A sexualidade não pode ser um assunto problemático, pois quando passa a isso, pode ser um sinal de alerta para outros aspectos da saúde física e mental. É preciso ser consciente disso e tomar precauções, se necessário for.

 

Afeto

Muitos dizem que com o tempo o interesse de um pelo outro pode acabar. Mas isso depende muito da relação de cada casal, se o mesmo levou uma vida cheia de rancores, traições e conflitos, pode ser que reflita negativamente no desejo sexual individual.

Já em casos de um casal companheiro e próximos, o sexo passa a ser natural. Com certeza muito menos frequente e mais suave, mas ele acontece no tempo certo que é para acontecer e os dois entendem isso numa boa. Afinal, se amam.

É como sempre dizem, não importa idade, limitações ou o que quer seja se existe amor verdadeiro. Pois com ele,as dificuldades são mais fáceis de serem superadas. E até aguenta – e entende – sem sexo se o parceiro não estiver com disposição como antes.

Nessa situação também é importante ficar de olho nos sentimentos da mulher, já que com o avanço da idade, ela pode perder um pouco de seu entusiasmo e de seu humor naturalmente, por motivos externos. Sentir-se inútil, após ter os filhos casados morando longe, ou estar aposentada é natural, principalmente na menopausa. O que não dá é para deixar isso se tornar frequente e contínuo.

Além disso, o corpo da mulher precisa de alguns cuidados mais especiais do que o dos homens. A secura vaginal pode ocorrer quando a frequência das relações é baixa. Já aquelas que se mantém ativas, tem melhor lubrificação e mucosa da vagina mais espessa.

Para a secura, existem medicamentos que podem ser utilizados. Desde a prescrição de hormônios via oral, até cremes que podem ser colocados diretamente na vagina. É preciso consultar um ginecologista e saber se é necessário e qual o melhor medicamento para cada caso.

 

Dificuldades masculinas

A maior queixa dos homens a partir dos 50 anos é a capacidade de ereção, que se acentua com o sedentarismo, obesidade, abuso de bebidas alcoólicas e o hábito de fumar. Existem medicamentos que auxiliam no aumento do desempenho, como o Sildenafil, que foi aprovado recentemente. Para o uso é importante uma consulta médica anteriormente.

Entretanto, é bom deixar claro que a dificuldade de ereção está muitas vezes associada a casos de diabetes, hipertensão, obesidade ou colesterol alto, doenças que levam a problemas de coração. Falhar na cama não significa apenas um distúrbio sexual, mas sim um sinal de que a pessoa está precisando cuidar da saúde.

Por fim, a velhice não é um pesadelo. Aos primeiros sinais de desânimo e desinteresse é preciso buscar as razões dentro de si que levam a isso. Quando essas razões não são encontradas sozinhas, a ajuda de um profissional, um médico, é indispensável. Pois não é natural uma pessoa desistir de atividades biológicas ligadas ao emocional e que mantém a vontade de viver acesa.

 

Fonte: http://bit.ly/1kX0ItY

Tags:, , , , , , , , ,

Posts Recentes

Dúvida?

RSS

T |

41

9991-2512
(Entre em contato via Whatsapp)

R |

Anita Garibaldi, 850, Sl 501 - Torre Success - Ahú

E |

claudia@claudiagraichen.com.br

Explay Web Agency