//

As Diferentes Fases da Vida Sexual

É impossível medir de forma exata a quantidade de desejo sexual apresentada ao longo da vida, simplesmente porque ele é um fator muito variável, que muda de pessoa para pessoa. Fatores físicos e psicológicos dos mais amplos influenciam de forma direta no comportamento sexual na libido.

Muitos acham que fazer sexo é característica da juventude — quando muito da maturidade — e que a atividade sexual inexiste a partir de determinada faixa etária. Em geral, admite-se que nos homens, lá pelos 60 ou 70 anos, ela declina e, depois, desaparece de vez. Em relação às mulheres, a crença é que o fenômeno seja ainda mais precoce. A moral vigente durante séculos reforçou o mito de que o momento da menopausa e a consequente perda da capacidade de gerar filhos marcavam o fim do interesse sexual feminino.

Hoje, já existe a comprovação de que esses conceitos estão completamente equivocados. Do ponto de vista médico, o papel da sexualidade após os 60 anos é de fundamental importância para a saúde física e psíquica de homens e mulheres mais velhos. Qualquer disfunção nessa fase da existência merece ser avaliada com cuidado, porque pode ser sinal indicativo de outros problemas de saúde, como o diabetes e a hipertensão.

Cada fase da vida nos transporta para novas vivências

Diferentemente dos homens, que não sofrem grandes alterações hormonais ao longo da vida, as mulheres enfrentam mudanças biológicas drásticas com o passar dos anos, o que, fatalmente, impacta sua sexualidade e a forma como lida com o parceiro.

Com 20 anos, simplesmente pensar em sexo, ver o parceiro nu ou fantasiar a respeito de alguma situação erótica era o suficiente para fazer o pênis despertar em questão de segundos e, no caso da mulher, a lubrificação acontecer. Como toda fase de conhecimento e descoberta, é nesta fase em que o casal passa a descobrir o que realmente gosta no sexo e o que mais lhe dar prazer.

Depois dos 30 e antes dos 40 anos, pode ser um momento de satisfação pelas realizações conquistadas, mas para muitas pessoas é uma fase de conflitos existenciais. É uma fase da vida onde se repensa a história de sua vida, e as perspectivas em relação ao futuro.

Compreender as mudanças que se processam no nosso corpo à medida que se envelhece, embora inevitáveis, não impedem de realizar diversas atividades que proporcionam realizações, felicidade e prazer. No que se refere à sexualidade, as mudanças da idade, nos tornam mais experientes em relação ao nosso prazer e do outro.

No homem essas mudanças são previsíveis e não devem surpreendê-lo, nem aborrecê-lo. No entanto, ele precisará de maior estimulação direta para conseguir a ereção. Após os 40 anos as ereções espontâneas com a mesma rapidez e facilidade de quando era adolescente, já se tornam mais difíceis para muitos homens.

O desejo sexual após os 50 anos de idade pode mudar um pouco em homens e, mais acentuadamente, nas mulheres, por causa de alterações hormonais naturais do processo de envelhecimento.

O ritmo na atividade sexual muda, especialmente se comparamos a vontade de praticar sexo nessa faixa etária com o desejo de um jovem ou de um adolescente. A partir dos 50 anos o sexo vai muito além do físico, do cheiro e dos impulsos hormonais – ele tem muita relação com o companheirismo e a confiança que o casal desenvolveu após longos anos de prática. Para as mulheres, esse ponto é fundamental, já que a queda no desejo sexual pode ter relação com muitos aspectos emocionais.

O cansaço também é um fator que pode influenciar na vida sexual e no desejo após os 50 e 60 anos. Pessoas nessa faixa etária se sentem mais cansadas com as longas rotinas de trabalho e podem preferir uma boa noite de sono a uma noite ardente com seu parceiro. Entretanto, isso não deve ser visto pelo casal como uma queda do desejo, especialmente se a chama ainda fica muito bem acessa nos finais de semana, feriados e outros momentos de folga.

Observa-se que quanto maior a frequência das relações, mais aptos os genitais se apresentam para o ato sexual, inclusive nas mulheres. A atrofia e a secura vaginal são mais pronunciadas naquelas que evitam o sexo ou têm poucas relações sexuais. Já as que se mantêm ativas têm melhor lubrificação e mucosa da vagina mais espessa. Dessa forma, não é exagero dizer que o ato sexual é uma proteção para os órgãos genitais e para o organismo como um todo.

No entanto, é preciso ressaltar que muitas vezes não existe um problema genital nem com a sexualidade. É muito comum, por exemplo, a depressão abater as pessoas nessa fase da vida. A mulher, que está aposentada ou nunca trabalhou fora, de repente se sente sem nenhuma função porque os filhos casaram ou foram morar sozinhos. O marido continua ativo ou não demonstra interesse por ela. Tudo isso somado faz com que perca o entusiasmo pelo sexo. Melhorar seu estado de humor é fundamental para reverter esse processo!

A falta da testosterona pode igualmente contribuir para alguns problemas masculinos. Embora os níveis de testosterona sofram certo grau de redução em todos os homens, alguns podem desenvolver uma deficiência maior. Outros fatores contribuem negativamente para a qualidade da ereção de um homem mais velho: o álcool, o tabaco, determinados medicamentos, algumas doenças, ansiedade e tensão bloqueiam o mecanismo de ereção. A hipertensão pode ocasionar endurecimento das artérias que levam o sangue ao pênis. Isso provoca a diminuição do fornecimento sanguíneo, menor volume de entrada de sangue oxigenado e consequentemente para conseguir uma ereção. Doenças como a diabetes podem danificar os nervos responsáveis pelo reflexo erétil.

Atitudes que melhoram a vida sexual

  • Reveja suas prioridades – ao longo do dia comum, você está sempre definindo prioridades, escolhendo fazer coisas importantes para sua vida, mas na grande maioria dos casos, sobra pouco tempo para os momentos de intimidade e carinho que fazem a diferença quando se está ao lado de quem se gosta.
  • Esquecer os ressentimentos – Se estiver perturbado pelas irritações durante o dia, seja em problemas do trabalho, ou por problemas conjugais do passado, isso poderá interferir no desempenho sexual satisfatório.
  • Concentre-se nas sensações físicas – O método mais simples e direto é fixar a atenção nas sensações físicas que está sentindo ao ser tocado.
  • Conversem sobre seus sentimentos e sensações – as técnicas podem ser ampliadas se o casal falar sobre o que está sentindo e descrever suas sensações que, além de excitantes, ajudará a concentrar-se.
  • Fantasiar – a fantasia pode ser uma forma muito poderosa de concentrar sua atenção numa atmosfera sexual.
  • Ajudar o outro a superar as dificuldades sexuais – o diálogo e a compreensão de nossos sentimentos são o melhor caminho.
  • Superar as inibições que impedem que você seja livre no ato sexual – As inibições incutidas em nós por uma criação repressora, também podem impedir que desfrutem totalmente do sexo.
  • Variedades sexuais – para muitos casais mais velhos, o ato sexual perde a espontaneidade. Percebem que estão fazendo sexo da mesma forma, no mesmo lugar, na mesma hora. Mudar a rotina da vida sexual é importante para que haja uma maior satisfação para o casal. Atualmente existem vários livros interessantes sobre técnicas sexuais nas grandes livrarias, que podem ajudar na sugestão de novas experiências sexuais. A cooperação e compreensão entre o casal são cruciais para o sexo mais estimulante. No sexo, as carícias ternas e afetuosas são importantes e bastante relaxantes.

Esta é uma fase da vida para se descobrir novas formas de prazer e estruturas eróticas, que podem tornar o sexo mais estimulante e prazeroso do que no passado, onde ainda eram jovens e imaturos para perceber o que estão vivenciando na maturidade.

Muitos casais quando chegam ao consultório possuem regras rígidas sobre a vida sexual, portanto, não aceitam vivenciar novas experiências sexuais por se sentirem desconfortáveis e inseguros. Aprender a conhecer melhor o próprio corpo e do parceiro é o primeiro caminho para uma sexualidade mais prazerosa e certamente aprenderão o que significa “fazer amor”. ♥‿♥

FONTES:

UOL – Equilíbrio e Saúde

Dr. Drauzio Varella

Bolsa de Mulher

Tena

M de Mulher – Abril.com

Sexo & Emoções

Terra – Vida e Estilo

 

Tags:, , , , , , , ,

Posts Recentes

Dúvida?

RSS

T |

41

9991-2512
(Entre em contato via Whatsapp)

R |

Anita Garibaldi, 850, Sl 501 - Torre Success - Ahú

E |

claudia@claudiagraichen.com.br

Explay Web Agency