//

Quando se assume uma vida a dois, o casal deve ter consciência que somente por meio de dedicação e investimento poderão se adequar as diversas demandas exigidas pela vida, evitando ao máximo mudanças que reflitam única e diretamente na relação interpessoal.

Ao longo dos anos os conflitos surgem, e a habilidade e vontade própria de cada um dos indivíduos tornam-se fatores fundamentais na hora de administrar os conflitos a fim da superação da crise. Quanto maior o investimento do casal para a prevenção e solução de tais desavenças, maiores são as chances de superação!

As pesquisas mais recentes apontam para o fato de que atualmente ocorre um declínio universal da frequência sexual ao longo dos anos de casamento. Esta variação está principalmente relacionada à qualidade da relação, como sua duração e idade dos cônjuges também pesam. Outro fator diretamente relacionado a tal declínio é o aparecimento de disfunções sexuais durante o casamento, que tem um impacto grande e negativo na vida pessoal, afetiva e satisfatória.

Aspectos como: nascimento dos filhos, trabalho, pressão ou problema de origem financeira, doenças, conflitos, disfunções sexuais, falha na comunicação ao longo da vida podem interferir de maneira positiva ou negativa, o que vai depender do investimento afetivo e/ou sexual do casal e da forma como estes administram suas relações.

O nascimento do primeiro filho representa uma nova fase de desenvolvimento do casal. Algumas mulheres na retomada da atividade sexual podem apresentar dificuldades, principalmente durante a amamentação, em alguns casos pode ocorrer a diminuição da frequencia da atividade sexual, desencadeando o surgimento de disfunções sexuais, levando a possíveis conflitos conjugais.

Já a dupla jornada de trabalho e instabilidade financeira exigem do casal muita vontade e esforço para manter o casamento saudável. A segunda normalmente vem acompanhada com o impacto negativo, por trazer diversos problemas até os de natureza mais simples. Esta vai acatar em diminuição da qualidade do relacionamento, porém, a ajuda de familiares amigos e profissionais podem promover o bem estar psicológico nos casais.

Quando um dos cônjuges adoece, a dinâmica dos cônjuges muda completamente, o que altera as funções conjugais. Alguns especialistas afirmam que casais que não são orientados a respeito podem manifestar dificuldades no âmbito afetivo-sexual.

Outro problema de caráter quantitativo que trás ao casal diversas complicações é a infidelidade. A descoberta da traição gera um sofrimento intenso para os cônjuges, já que esta obrigatoriamente denuncia um momento decisivo na relação a dois. A psicoterapia tem sido essencial na vida dos casais para a reparação dos males causados pela infidelidade, buscando os motivos que fazem o casal ter desejo em investir na relação conjugal.

Alguns autores ainda reportam que uniões saudáveis com mais de 20 anos de relacionamento conjugal se caracterizam pelo forte envolvimento e comprometimento com a relação, pelo qual os casais buscam o equilíbrio entre a vida a dois mantendo a individualidade, visando a comunicação e relação afetiva/sexual.

Neste post então concluímos que a comunicação entre os cônjuges exerce uma influência muito grande na qualidade da relação, sendo um fator determinante ao longo dos anos na satisfação conjugal.

 

Fonte: Monografia Claudia Maria Graichen Guimarães.

Tags:, , , , , ,

Posts Recentes

Dúvida?

RSS

T |

41

9991-2512
(Entre em contato via Whatsapp)

R |

Anita Garibaldi, 850, Sl 501 - Torre Success - Ahú

E |

claudia@claudiagraichen.com.br

Explay Web Agency