//

Às vezes é difícil reconhecer a hora de procurar um especialista, mas na maioria dos casos a falta de prazer ou se o sexo se torna um assunto complexo, pode ser um bom momento de agir.

A sexualidade nunca é 100% exata, isso podemos considerar sem dúvidas. A atmosfera desse fenômeno é, em grande parte dos casos, cercada de dúvidas e questões — um estado não mais que natural —, mesmo quando nos referimos a pessoas com muita experiência sexual. Aos que almejam uma vida sexual saudável e descobrir mais de si, um sexólogo pode ajudar nesse processo.

A cultura humana ainda tem o sexo como um tabu, e como consequência, milhares de pessoas detêm o sentimento de repressão quanto a seus desejos sexuais. Em contrapartida, temos pessoas com problemas sexuais que sequer sabem que estão sofrendo de alguma disfunção, e a convivência diária com tal fato traz uma certa infelicidade com o passar do tempo, sem falar nos desgastes emocionais.

Como parte constituinte da vida das pessoas, a sexualidade acaba por abranger fatores biológicos, psicológicos e sociais, ou seja, tem um impacto além do imaginado em nossas vidas. Como parte integrante, ela se desenvolve ao longo da vida, como um fator da identidade de cada indivíduo – por esse fato, ao decorrer de seu desenvolvimento, acaba por mais tarde influenciar na qualidade de vida e bem-estar de cada um.

Mas engana-se quem pensa que tem uma idade exata para se procurar um sexólogo, pois, no geral, os pacientes decidem isso quando sentem que está na hora de fazer descobertas de sua sexualidade.

Nesse cenário, podemos considerar que a vida sexual está começando cada vez mais cedo, segundo aponta uma pesquisa realizada em 2009 pelo IBGE em parceria com o Ministério da Saúde e Educação. O estudo identificou que os jovens estão começando as descobertas sexuais em torno dos 15 e 17 anos. Com isso, presenciamos o cenário da sexualidade muito mais avançado, mas que mais tarde pode mudar completamente em casos pontuais, pendendo para diversos casos onde as pessoas se perdem no meio das descobertas.

Jogando as cartas na mesa, temos os indivíduos frutos da sociedade atual: o sexo para eles não é mais problema, é a solução! Todos estão saindo da zona de conforto e buscando explorar cada vez mais o mundo do sexo. As mulheres principalmente, que vivem uma libertação revolucionária. E se tratando desse novo grupo, as ousadias no sexo não acabam. Claro que em diversos casos a inquietação do parceiro em experimentar novas coisas leva ao diálogo com um sexólogo, pois as descobertas nunca terminam.

O objetivo da terapia sexual é contribuir para a qualidade de vida do casal ou do indivíduo. Assim como tem muitos indivíduos mais libertos sexualmente, outros tantos não estão conseguindo usufruir do seu corpo com prazer e satisfação, manifestando algum tipo de disfunção sexual que os impedem de viver plenamente sua sexualidade.

Entendemos a disfunção sexual como alteração da resposta sexual que pode ocorrer na fase do desejo, excitação ou orgasmo, esses sintomas podem ser recorrentes e frequentes, tornando difícil ou impossível o ato em si ou o orgasmo. Ocasionando problemas como: ejaculação precoce, disfunção erétil, baixa de desejo, dispareunia, ausência de orgasmo ou dificuldade em atingi-lo, vaginismo, dentre outras causas.

As causas podem estar associadas a questões orgânicas, medicamentosas ou psicológicas. A idade é outro fator que interfere na resposta sexual, devido as mudanças hormonais e fisiológicas, podendo afetar a autoestima e confiança.

A terapia sexual é um caminho para conhecer melhor a si mesmo e entrar em sintonia maior com o próprio corpo e a mente. O trabalho é focado nos aspectos psicogênicos visando também a orientação, que envolve temas como: mitos, a inabilidade sexual, o medo do fracasso, a dificuldade de entrega para o prazer sexual, comunicação, conflitos e relacionamento disfuncional do casal, influência religiosa e a repressão na educação.

Tratar a disfunção sexual vai além de restabelecer o indivíduo em relação a sua sexualidade. Significa recuperar e desenvolver a autoestima, torná-lo potencializado e competente para os mais diversos aspectos da vida

 

Fontes:

acritica.com | Entretenimento
A Tribuna – Mato Grosso | Digital
Doutíssima
Saúde | CCM Benchmark Group
Doutíssima
Vittude.com
Artigo: Saúde sexual dos adolescentes segundo a Pesquisa Nacional de Saúde dos Escolares

Tags:, , ,

Posts Recentes

Dúvida?

RSS

T |

41

9991-2512
(Entre em contato via Whatsapp)

R |

Anita Garibaldi, 850, Sl 501 - Torre Success - Ahú

E |

claudia@claudiagraichen.com.br

Explay Web Agency