//

Descubra os fatores que influenciam o apetite sexual e suas principais causas no relacionamento

A rotina, os problemas, as contas, os filhos. São diversos os fatores que podem atrapalhar a harmonia do casal e fazer com que aquela paixão do início do relacionamento se perca. O amor ainda existe, ainda há cumplicidade, mas o que se pode fazer para recuperar o apetite sexual e reacender a chama? Quando é comum aparecer a falta de interesse?

Tanto os homens quanto as mulheres podem sofrer com a perda do apetite sexual, mas elas são as que mais sofrem com esse mal. Os homens têm um poderoso nível de testosterona, hormônio responsável pela motivação para o sexo, que é produzida pelo organismo masculino em quantidade dez vezes maior que no feminino, além da liberação dele no corpo masculino ser fixa nos 365 dias do ano, enquanto no caso delas, varia muito ao longo do ciclo menstrual. Sem contar no fato de que o organismo feminino pode apresentar baixas intensas no nível do hormônio após anos de pílula anticoncepcional, ou outras causas como a menopausa.

Não bastassem os fatores físicos, a falta de libido também envolve muitas causas psicológicas, inclusive causas externas. O estresse do dia a dia pode acabar com uma noite romântica, por consequência da exaustão de ter resolvido tantos problemas. É justamente nessa hora que o casamento chama por novos estímulos para recuperar o apetite sexual, mas muito além disso, é preciso gerar bem-estar na vida de ambos, não deixar que os problemas deixem marcas na relação e na rotina.

 

Quais as causas?

A causa da inibição do apetite sexual para os homens está relacionada a alguns fatores como:

– Distúrbio androgênico do envelhecimento masculino que pode ocasionar a baixa da testosterona ou hiperprolactinemia.

– Medicamentos e drogas que interferem na resposta sexual, diminuindo o desejo.

– Fatores psicológicos e psiquiátricos como depressão, ansiedade, estresse pós-traumático, entre outros.

– Fatores situacionais como ressentimento em relação à parceira

Já nas mulheres, a causa da inibição do desejo está relacionada com uma natureza altamente contextual. Está comprovada a correlação com a saúde sexual, saúde mental e sentimentos pelo parceiro.

 

Como saber se há uma disfunção?

 Ainda que menos frequentemente do que ocorre com a mulher, o homem também pode ter o desejo sexual diminuído ou até ausente. Mas a resposta sexual do homem normalmente se manifesta através do desejo, excitação e orgasmo. Isso significa que o desejo espontâneo é mais comum aos homens do que nas mulheres no relacionamento duradouro. No início do relacionamento, fase da paixão, o desejo espontâneo costuma ser intenso para os dois.

Atualmente o olhar dos estudiosos referente ao desejo feminino é diferente do homem. As mulheres que estabelecem um relacionamento duradouro, mostram-se receptivas ao sexo pelas mais variadas razões, sendo raro o desejo sexual espontâneo, a ausência do desejo espontâneo no início do ciclo (antes de iniciar e no começo da relação) não é considerado uma disfunção sexual. Portanto, a mulher se sente motivada ao sexo não necessariamente pelo desejo sexual, mas, os motivos que levam a mulher a desejar sexo, está a proximidade sexual com o parceiro, sentir-se mais atraente ou mais atraída, busca de intimidade, de acolhimento, de carinho, satisfazer sua própria percepção de desejo/necessidade sexual, entre outras.

Portanto, a libido feminina está diretamente relacionada com as emoções e as percepções geradas pela excitação. Mesmo que a relação não inicie com o desejo, a partir da excitação e dos componentes não sexuais, como: intimidade emocional, compromisso, cumplicidade, confiança, carinhos mútuos, são estímulos essenciais para a maioria das mulheres se sentirem motivadas para o sexo e para o despertar do desejo. Caso o desejo e excitação não fluam em nenhum momento, passa a ser um sinal de alerta.

 

O que fazer para aumentar o desejo?

 

Se a questão for a rotina ou problemas emocionais do casal, é necessário abrir um diálogo para saber o que o outro pensa, a fase pela qual está passando e como, juntos, podem superar. Adicionar novidades ao relacionamento, novas abordagens, criar um clima ou mudar o visual pode ajudar a reacender a chama. A falta de diálogo é um dos principais problemas que rodeiam os relacionamentos, mas que muitos casais não percebem por conta da avalanche de acontecimentos do dia a dia que não permite eles pensarem em si mesmos, quanto mais em ambos.

Para aumentar o desejo das mulheres vale muito carinho durante o dia e na hora do sexo, além de muito estímulo sexual. A criatividade, bem como o investimento e comprometimento do casal para melhorar a cumplicidade sexual, são fundamentais ao longo dos anos, tanto para os homens se sentirem mais motivados e potencializados como as mulheres mais envolvidas e valorizadas. Manter a chama deve ser um compromisso do casal.

 

Quando buscar ajuda?

Tanto os homens, quanto as mulheres, podem passar por um desequilíbrio, quando o sofrimento passa a ser frequente e recorrente (por mais de seis meses), está mais do que na hora de buscar ajuda. Com a avaliação e tratamento correto, a vida pode voltar ao normal. Após uma avaliação médica, e descartado qualquer causa orgânica, um dos caminhos para tratar esse problema é a terapia de casal ou terapia sexual.

 

Fontes:

UOL | Estilo, Vila Mulher, Casa Claridade, M de Mulher, Revista Claudia, Discutindo a relação.

Manual Prático de Condutas em Medicina Sexual e Sexologia

Característica multifatoriais capítulo 11Margareth de Mello Ferreira dos Reis

Sexualidade Humana e seus Transtornos Carmita Abdo

Tags:, , ,

Posts Recentes

Dúvida?

RSS

T |

41

9991-2512
(Entre em contato via Whatsapp)

R |

Anita Garibaldi, 850, Sl 501 - Torre Success - Ahú

E |

claudia@claudiagraichen.com.br

Explay Web Agency