//

O termo sexting ainda é algo muito recente, mas que vêm se proliferando a cada dia mais. Esse termo surgiu nos Estados Unidos, através da combinação de duas palavras sexo (sex) e mensagem (texting). O sexting nada mais é que enviar mensagens com conteúdo sexuais e eróticos para o parceiro, podendo ser mensagens picantes, fotos sensuais e até vídeos provocativos.

Em um estudo apresentado na 123° convenção anual da Associação Americana de Psicologia em Toronto, mostrou que quanto mais os casais têm a prática do sexting melhor são suas relações sexuais. A pesquisa foi feita com mais de 870 americanos com idades variando entre 18 a 82 anos. A psicóloga responsável pela pesquisa Emily Stasko afirmou que mesmo sendo uma prática considerada arriscada, por todas as notícias que se encontram na mídia de vazamento dessas imagens, a prática do sexting melhora e muito a qualidade sexual do casal.

Os dados da pesquisa foram surpreendentes, mais de oito em cada dez consultados afirmaram já ter enviado imagens intimas por telefone, três quartos desses enviaram essas imagens para um namorado ou namorada ou para o marido ou esposa, e associaram essa prática a uma satisfação maior em seus relacionamentos. No entanto essa mesma satisfação não foi vista entre os solteiros. Para a psicóloga Emily essa comunicação aberta entre os indivíduos em um relacionamento, sobre sexo, sempre leva a uma intimidade maior e logo uma melhor qualidade sexual.

Making selfie

 

 

 

 

 

 

 

 

Outra pesquisa realizada no sul do Brasil, queria ver a pratica do sexting entre os universitários. A pesquisa foi aplicada em uma Universidade Federal onde 69% do público era do sexo masculino e 31% feminino, em uma faixa etária entre 18 e 27 anos, os resultados mostraram que o sexting está muito presente na vida dos estudantes universitários, mesmo sua grande maioria não sabendo o que a palavra significava, ou nunca tendo ouvido, já a tinham praticado. Os estudos revelaram que 35% dos entrevistados já enviaram conteúdos eróticos, em quanto 88% já receberam tal conteúdo.

Ambas pesquisam mostram que mesmo a palavra sexting sendo algo consideravelmente novo, a pratica é ampla entre as pessoas maiores de idade. Com os avanços tecnológicos e suas praticidades fica cada vez mais fácil ter essa conversa aberta sobre sexo, ter esse erotismo em mensagens, que não deve morrer nunca nos relacionamentos.

Mesmo com todas as melhorias dessa prática para o casal, o alerta deve ser feito, para enviar e fazer sexting precisa existir um vínculo de confiança muito grande entre o casal, necessita haver um cuidado na hora dessa prática, para a intimidade não ser exposta. Muitas notícias circulam na mídia hoje em dia sobre o sexting de vingança, onde com o término de um relacionamento ou uma discussão o parceiro viabiliza as imagens e vídeos em redes sociais, e isso é crime. Tendo a confiança e parceria entre o casal, com os cuidados necessários dá para brincar com a prática do sexting.

 

Fontes Consultadas:

Sexting: Entendendo sua condição de emergência. – Suzana da Conceição de Barros, Paula Regina Costa Ribeiro & Raquel Pereira Quadrado

G1 – Pesquisa psicóloga Toronto sobre sexting

Sexting: Comportamento e imagem do corpo – Clóvis Wanzinack e Sanderson Freitas Scremin.

Tags:, , ,

Posts Recentes

Dúvida?

RSS

T |

41

9991-2512
(Entre em contato via Whatsapp)

R |

Anita Garibaldi, 850, Sl 501 - Torre Success - Ahú

E |

claudia@claudiagraichen.com.br

Explay Web Agency